UBE blogs

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Pescar Siri: Uma excelente oportunidade de comunhão e lazer.


A pesca artesanal do siri é uma ótima oportunidade de lazer para a família e os amigos, pois além da festa que é a pescaria propriamente dita, a ocasião de preparar e comer o siri reveste-se de uma série de etapas, que transformam a pesca do siri num elemento agregador, contribuindo para o bem estar do Homem, como ser social.

Para pescar, precisamos conhecer o siri. Ele é um animal marinho, classificado como crustáceo, decápode, braquiúro. Alimenta-se de carne, portanto esta é a isca. O siri não enjeita nenhum tipo; em Recife, a preferida é a Tripa de Galinha. Podemos pescar o siri simplesmente com um pedaço de isca amarrado numa linha. O siri gruda nela, e pode ser puxado para fora da água. Este método tem o inconveniente de, se o siri se assustar e largar a isca antes de ser capturado, não será mais possível pegá-lo, porque ele fica esperto.

O método artesanal mais eficiente de pescar o siri é com o uso de puçás. Um puçá, consiste num aro de metal fechado com um cabo, tendo uma rede amarrada a ele. Por medida de segurança, devemos atar à extremidade do cabo uma bóia, para evitar que percamos o puçá se eventualmente o mesmo cair na água. O puçá permite pescar o siri que se solta quando colocado por baixo da isca durante a retirada da mesma da água. A isca pode ser amarrada diretamente no puçá, ou pode ser amarrada em uma “redinha” (daquelas usadas para vender frutas) junto com algo que a faça afundar.

Normalmente preparamos algumas iscas, cada uma amarrada a uma garrafa pet vazia para boiar e indicar a localização. De tempos em tempos (uns tres a cinco minutos), retiramos para ver se algum siri foi pego, sempre colocando o puçá por baixo da isca. Caso venha o siri, ele deve ser retirado do puçá e metido num balde que levamos para este fim, com um pouco de água do mar. Desta forma, com apenas um puçá, utilizamos várias iscas, e pescamos mais siris.

Para garantir que sempre existam siris onde pescamos, os indivíduos pequenos e as fêmeas ovadas devem ser devolvidos à água. Além disso, é interessante saber que a garra do siri se regenera, portanto, se você quiser, quando pescar o siri, pode retirar as garras e devolvê-lo à água. Claro que, se retirarmos as duas garras, o animal vai ter alguma dificuldade para se alimentar, mas se ficar desprovido apenas de uma, brevemente estará recuperado, e pode ser pescado de novo.

Para preparar o siri, recomendo colocá-lo vivo na panela com água, sal e os demais temperos. O siri morto se deteriora rapidamente, por isso, se quisermos comê-lo em outra ocasião, é melhor aferventá-lo primeiro, para depois congelar.

Certa época do ano, o siri troca de carapaça, devido ao crescimento do corpo do animal. A nova casca leva algumas horas para endurecer, e nesse período ele é conhecido como siri mole, e se torna muito mais saboroso.

O Pirão de siri é algo extremamente delicioso.
Aqui no Nordeste, os melhores meses do ano para a pesca do siri são: Maio, Junho, Julho e Agosto. Curiosamente os únicos meses do ano que não possuem a letra "R" no nome.
Para comer o siri, é preciso uma mesa sem toalha (ou com toalha de plástico), e alguma coisa para quebrar a casca. Pode ser o cabo de uma faca, mas existem uns martelinhos de madeira específicos para isso. A garra (ou pata grande) é a parte que tem mais carne. Para retirar a carne da garra e das pernas é preciso quebrar e chupar essas partes do bichinho, o que provoca alguma sujeira e ruídos característicos. É impossível comer siri no escuro, bem como usar garfo e faca para isso. Retirando a carapaça, vamos encontrar carne na inserção das patas. É a musculatura do animal. Existe também um razoável depósito de gordura, e é ela que toma o caldo do siri apreciado para fazer um excelente pirão. Se você preferir pode comer apenas a carne do siri. Praticamente não há limites quanto às formas de preparo da mesma. Pode-se usá-la para engrossar o caldo de peixe, fazer bolinhos, empadas, empadões, "casquinho de siri" e outras coisas que a sua imaginação conseguir criar. Além de tudo, é uma carne branca, leve, e de fácil digestão. Depois de comer, é preciso juntar todos os caquinhos que sobram, colocar num saco plástico, fechar bem, e levar para a lixeira fora da casa. Porque no outro dia ele exala um forte mau cheiro. Geralmente o siri é comido sem acompanhamentos, sendo ele o único prato.

Boa pesca, bom apetite e bom lazer junto com a sua família, com alguns irmãos da igreja ou com os seus amigos.
Deus te abençoe sempre.

Um comentário:

  1. Jademir, minha boca encheu de vontade. Mas em Minas tem é feijão tropeiro, manda siri para mim, que mando feijão tropeiro prá voce. Vamos trocar as benções. Um forte abraço. Paz.

    ResponderExcluir